[Flash Back] Review: Bones – 6×01: The Mastodon in The Room [Season Premiere] - Líder Séries

ULTIMAS

19 de dezembro de 2012

[Flash Back] Review: Bones – 6×01: The Mastodon in The Room [Season Premiere]




Após 7 meses separados, Caroline promove a reunião dos squints com Booth para salvar a carreira e reputação de Camille, que agora como médica legista do FBI, vem encontrando dificuldades para identificar os restos mortais de uma criança, que a mídia acredita, seja Logan Bartlett, desaparecido à 2 meses. Chegou a hora de ver se cada um consegue por as suas vontades de lado por uma causa maior, e mais, se eles ainda são capazes de trabalhar juntos, como uma equipe novamente.
Spoilers Abaixo:


A cena do reencontro do non-couple ficou bem aquém das minhas expectativas. Apesar disso, da pra se tirar algumas conclusões daqueles olhares perdidos com o breve relato do trabalho de cada um. Booth fez questão de omitir o trabalho em campo, e Brennan logo ressaltou que teve que se defender sozinha, já que o “cavaleiro branco” não estava por perto. O melhor é a observação da própria antropóloga, ainda na Indonésia, sobre o seu medo de cobras se manifestar apenas quando Booth está por perto para carregá-la nos braços. Porque será né Brennan?! Booth parece genuinamente feliz e apaixonado por Hannah, mas não podemos esquecer, ele construiu este relacionamento bem longe de Brennan, e acredito que isso não vá mudar muito da parte dele. O mais importante não é como Booth irá se sentir com Brennan por perto, mas como será para ela ver Booth tão feliz com outra pessoa. Deny, deny, deny…
Uma das novidades foi completamente estragada pela estratégia de divulgação da FOX, que revelou prematuramente a gravidez de Angela. Mesmo assim foi muito legal ver o casal junto e feliz, e agora formando uma família. Prevejo conflitos na educação do bebê, mas isso são outros quinhentos. O que me surpreendeu na verdade foi Brennan entender prontamente o que Angela queria dizer quando falou que “sentia falta da menstruação”. Em outros tempos ela largaria um I don’t know what that means. E a Daisy, coitada, realmente pensou que Sweets ainda era seu noivo, mesmo depois de dar um pé na bunda do psicólogo. A sorte dela e que ele realmente a ama, então eventualmente eles vão acabar reatando de verdade.
O caso da semana, embora não tenha se destacado, teve seus momentos, com algumas reviravoltas, e posteriormente a divisão das investigações. O importante é que ele serviu para abrir os olhos de Brennan para perceber a sua importância na vida das pessoas com quem ela trabalha, como Wendell, que teve que trabalhar em uma mecânica porque perdeu sua bolsa de estudos. Camille tomou para si a responsabilidade, e como chefe de Brennan disse o que todos pensaram da viagem repentina da antropóloga:
O que aconteceu foi que você pôs seus interesses pessoas acima de tudo e foi embora.
Sim, a equipe está reunida, o caso foi resolvido, mas algo mudou. E certamente o mastodonte no meio do Jeffersonian será o menor dos empecilhos – e não me refiro aqui a (apenas) Hannan no meio do caminho de Brennan/Booth -, mas todas essas mudanças eram necessárias para que a série não se perdesse, como aconteceu em alguns momentos, especialmente no tão criticado episódio final da quarta temporada. São riscos que se corre ao centralizar a série na não concretização do romance dos protagonistas. Com a entrada de Hannah, a trama ganhou novo fôlego, novas perspectivas, e por maior que venha a ser o índice de rejeição da personagem por parte do público, a presença dela se faz necessária. Que venha Hannah!

SérieManiacos

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial