Review: How I Met Your Mother – 8×06: Splitsville - Líder Séries

ULTIMAS

18 de novembro de 2012

Review: How I Met Your Mother – 8×06: Splitsville




Um mal necessário.
Spoilers Abaixo:
How I Met Your Mother criou, no final de sua sétima temporada, um cenário em que boa parte de seus personagens se encontrava em um relacionamento que sabíamos não ser duradouro. Por isso, e pelo fato de haver uma boa chance de a série se encerrar neste oitavo ano, Carter Bays e Craig Thomas se viram em uma situação em que precisavam se apressar para colocar tudo em seu devido lugar para enfim projetarem a reta final de sua criação, um sinal evidente da má decisão tomada pela dupla de showrunners. E Splitsville surge como o ponto final de um fracassado arco, encerrando de forma digna a parte inicial da temporada.
O episódio trata da crise de Robin, que, sem fazer sexo há algum tempo, repara que Nick é burro demais para ela, considerando seriamente a possibilidade de romper com ele. Ideia que Marshall odeia, já que o rapaz é a estrela de seu time de basquete. Mas Robin, decidida sobre o que julga ser melhor para ela, segue em frente, levando Nick ao Splitsville, sorveteria conhecida por abrigar muitos términos de namoros e outros relacionamentos (em um interessante jogo de palavras com a provável especialidade da casa, banana-split). Praticamente chantageada por Barney, ela encontra motivação extra para acabar com seu sofrimento. Enquanto isso, Ted tenta levar seu time ao sucesso através de seu raciocínio lógico-matemático.
O ponto mais importante dessa premissa é o fato de Marshall receber do roteiro de Stephen Lloyd uma história que o separe de Lily. O personagem perdeu grande parte de seu encanto após o nascimento de seu filho exatamente pelo fato de a série prendê-lo demais à sua esposa. EmSplitsville, quando ele ganha diálogos que se mostram completamente alheios à trama de Lily, suas piadas ganham vida e se mostram infinitamente mais eficazes por refletirem a inocência de Marshall e garantirem à HIMYM um pouco de seu humor característico. Aliás, tudo que a série representa passa pelo que o personagem de Jason Segel faz, e por esse motivo é um grande desperdício afastá-lo disso.
A exemplo de Marshall, Ted também tem a oportunidade de voltar ao que consagrou o personagem com o fim de seu relacionamento com Victoria. É curioso a abordagem proposta pelo episódio de não lançá-lo em uma trama semelhante à de Barney após o fim do relacionamento com Quinn, preferindo guardar a parte emocional de Ted para um momento posterior, principalmente para não tirar o foco principal de Splitsville. Assim, é gratificante que HIMYM tenha voltado a criar suas piadas com arquitetos, que surgem eficientes como sempre. E reparem que o roteiro não abandona o acontecimento de The Autumn of Breakups, inserindo o time criado por Ted como uma clássica manobra de quem acaba de sair de um relacionamento e se vê terrivelmente entediado.
E, já no final do episódio, HIMYM aproveita para iniciar novamente a jornada de seu protagonista em busca de sua felicidade. Embora simples e até exagerada, a cena de Ted e seus companheiros de basquete no Splitsville revela muito da atual condição do personagem, que se vê, novamente, inteiramente solitário. Repare que essa é exatamente a mesma situação na qual ele se encontrava no princípio da sétima temporada, o que poderia significar uma falta de evolução ou mesmo um clássico giro em círculos. No entanto, a ideia da série é justamente mostrar que Ted praticamente perdeu mais um ano de sua vida. E agora, após outro relacionamento fracassado, logo deve se dar conta do frágil momento emocional em que se encontra.
Mas o grande foco de Splitsville é Robin e seu namoro com Nick. É desnecessário dizer a quantidade de bobagens praticadas por Bays e Thomas com esse personagem, e, de novo, HIMYM aposta em uma característica repentina e incoerente dele, que jamais havia sido sequer insinuada nos outros cinco episódios em que apareceu. Além disso, a presença dele no time de Marshall não faz sentido algum, revelando-se claramente como uma desesperada tentativa de Lloyd em contextualizá-lo e criar a oportunidade para gerar humor. Por sinal, algumas piadas envolvendo Nick até funcionam, mas se perdem pelo fato de o personagem não possuir relevância alguma para a série. Sendo assim, a fatídica cena do rompimento funciona mais por conta dos figurantes em background do que por Nick.
Ainda assim, essa trama se faz necessária por dois motivos. O primeiro, para finalmente encerrar o “Outono dos Términos” anunciado por Future Ted logo em The Pre-Nup. Além disso, tem a função de mostrar a atual condição de Robin dentro de um relacionamento, evidenciando também que não havia sentimento algum dentro do mesmo. Aliás, se há algo proveitoso nessa trama é exatamente o fato de Bays e Thomas terem sido competentes em jamais fazer com que Robin e Nick ganhassem algum resquício de importância, não permitindo que a relação se tornasse mais do fora inicialmente: uma resposta ao noivado de Barney.
Por falar nele, é Barney quem toma as rédeas do episódio em seus minutos finais. Uma sábia decisão de roteiro, engatando rapidamente o fim do relacionamento de Robin com o seguinte, e conferindo imensa relevância ao fato, impedindo que Splitsville fosse marcado apenas pelo fim de um namoro que nunca teve grande impacto. Além disso, o discurso proferido por ele para convencer Nick de que realmente ama Robin é muito interessante pelo fato de criar uma ironia dramática eficaz em gerar um momento emocionante. Essa forma de explorar acontecimentos já anunciados é uma característica que HIMYM não vinha mostrando nos últimos episódios, e funciona muitíssimo bem por trazer ao espectador uma sensação de onisciência e identificação.
Com isso, HIMYM encerra seu principal arco desta oitava temporada, permitindo-se finalmente iniciar a trama que levará ao tão falado casamento. Dessa forma, Splitsville pode trazer boa parte dos problemas que a série apresentou nos últimos episódios, mas se engrandece ao recuperar características que não vinham sendo aproveitadas. Pode não ser o melhor que HIMYM pode apresentar, mas certamente é uma grande evolução.
Fonte: Série Maniacos

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial