Supernatural: 8×02: What’s Up, Tiger Mommy? - Líder Séries

ULTIMAS

12 de outubro de 2012

Supernatural: 8×02: What’s Up, Tiger Mommy?




Supernatural voltando a fazer sentido.
Spoilers Abaixo:
Se na semana passada, eu disse que a Season Premiere de Supernatural havia sido bastante esperançosa para os fãs de longa data, que, assim, como eu, ainda tem fé na série, esse segundo episódio, que foi ainda melhor que o anterior, só me deu mais motivos para acreditar que essa oitava temporada pode ser pra lá de boa.
Depois desses dois episódios, estou bem confiante com os rumos que Supernatural está tomando, e estou bastante ansioso para o que está por vir. Enquanto a Premiere se dedicou bastante a “limpar” a série do que não estava funcionando, What’s Up, Tiger Mommy? deu mais forma e consistência para os arcos do início desse oitavo ano. E o melhor, é que (pelo menos até agora) tudo está perfeitamente coerente e com sentido, algo muito raro nas últimas duas temporadas.
Alguns dos melhores momentos desse episódio foram os flashbacks do Purgatório. Achei que ainda demoraríamos um pouco para ver Castiel nessa temporada, e fiquei feliz por estar enganado. O roteiro está sabendo utilizar muito bem esse arco, pois por mais que agora saibamos como Dean encontrou Cass lá, o mistério sobre o que aconteceu com ele depois disso ainda está aí. A cena do final do episódio, com Castiel caindo de um morro e suplicando por Dean, trouxe mais dúvidas do que respostas.
E Dean, agora, também está mudado. As sequências dele torturando o ladrão de armários na delegacia e o monstro no Purgatório serviram para dar a certeza de que ele está diferente. Menos piedoso, mais agressivo ou talvez até menos humano. Ainda não dá para saber exatamente. Esse pode ser um drama um pouco clichê, porém faz sentido e é necessário. Ele não poderia ter passado um ano em um mundo de monstros e voltar exatamente como era antes.
A participação da mãe de Kevin no episódio também foi excelente. Gostei da química dela com os irmãos e Kevin. A personagem foi ótima e se encaixou muito bem em todo o episódio. Quando ela ofereceu a sua alma por Kevin e a tábua, eu percebi que ela já havia me conquistado, e personagens em Supernatural que nos cativam desde o primeiro episódio é algo um tanto raro.
O leilão de Plutão foi uma das coisas mais positivamente bizarras que me lembro de já ter visto em Supernatural. Foi um plot muito Doctor Who, mas também me lembrou um pouco o episódio da reunião de diversos deuses durante o Apocalipse, na quinta temporada. Colocar diversas criaturas diferentes em um leilão de objetos mágicos e esquisitos foi demais. Diverti-me horrores quando Sam matou Beau e aquele homenzinho estranho com o martelo de Thor.
A presença do anjo Samandriel no leilão, algo que poderia ter sido completamente aleatório, na verdade também foi essencial. Só ele poderia ter competido com Crowley no começo para tentar obter a tábua, e ele também fez com que Dean pensasse sobre Castiel, tornando a presença dos flashbacks do Purgatório mais coerentes no roteiro.
Eu só não vi lógica em Dean e Sam terem deixado a mãe do Kevin sozinha conversando com Samandriel. Se não fosse por isso, Beau não teria queimado o pentagrama do braço dela e Crowley não poderia tê-la possuído. Agora, mesmo sem poder ler a Palavra de Deus, Crowley já sabe que ela fala sobre como fechar os Portões do Inferno para sempre. Com isso, é certeza que o Rei do Inferno é de fato o vilão dessa temporada, que tem tudo para ser ótima.

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial