Review: Fringe 5×03: The Recordist - Líder Séries

ULTIMAS

14 de outubro de 2012

Review: Fringe 5×03: The Recordist


No passado episódio a Fringe Division ficou com a missão de encontrar as várias gravações que constituem o plano organizado por Walter e September. E The Recordist começa exatamente com a extração de uma gravação do âmbar, ainda em Harvard. Quando dão o play descobrem, na verdade, que se trata da terceira gravação e nesta Walter dá indicações à Fringe Division para se dirigem à Pensilvânia. Fazer o quê? Ninguém sabe ainda, pois a gravação está danificada. Sendo assim, lá vão eles.
Seguindo as coordenadas dadas na gravação, a team vai ter a uma floresta onde é recebida (com armas) por um grupo de seres humanos que possuem na pele algo que se assemelha a casca de árvore. Para este grupo (como para a maioria que é pró-Resistência), Olivia, Peter e Walter são os seus heróis. Esta tribo tem como papel principal, explica Edwin, o representante, recolher e guardar toda a informação sobre a Humanidade desde o início da invasão dos Observadores. Através de cubos de vidro, a informação é armazenada e pode ser editada e visualizada.
Ainda assim, o que é suposto eles fazerem na Pensilvânia?
No laboratório, Astrid consegue recuperar mais informação da gravação danificada e comunica aos seus colegas que é suposto eles encontrarem uma mina. Ótimo, tudo a ir bem, não fosse o relatório que dois Legalistas entregam a Windmark, denunciando a posição da Fringe Division.Damn!
Edwin leva a team até à mina e lá descobrem o corpo praticamente arborizado, tal como se encontra toda a tribo, mas em muito maior desenvolvimento. Walter conclui que quanto mais próximos se encontram da mina, mais rápida é a infestação.  Assim sendo, não podem descer até Walter fazer umas análises.
Do outro lado, um dos Legalistas que entregou o relatório é, na verdade, um infiltrado da Resistência e comunica a Anil que os Observadores sabem da posição de Walter, Olivia, Peter e Etta. Anil, por sua vez, avisa Etta.
Através dos seus milhões de registos, Edwin tenta procurar informação acerca do porquê de Walter precisar de estar ali. Isto porque, caso não se lembrem, Walter perdeu a memória e apesar de a gravação o guiar, este não sabe o que realmente procura. Edwin descobre então, nos registos feitos pelo seu próprio pai, que um indivíduo chamado Donald foi até àquela zona, retirou algumas rochas das minas e preparava-se para se encontrar com um cientista de Boston mas, antes disso acontecer, foi levado pelos Observadores. Contudo, Walter não se lembra de nenhum Donald mas, ainda assim, conseguimos perceber que os Observadores não querem ninguém perto das rochas da mina.
Enquanto Peter, Olivia e a filha preparavam alguns aparelhos, Peter trás à conversa um pequeno detalhe sobre um restaurante, no tempo em que ele e Olivia perderam Etta. Olivia, por sua vez, diz não se lembrar. E sem dúvida, para além de Peter, qualquer espetador assíduo de Fringe sabe da memória-super-hiper-mega-ultra-fotográfica de Olivia. Como iria ela se esquecer de algo? Mais tarde, quando Peter e Olivia estão sozinhos, Olivia conta que o problema não é não se lembrar, mas sim não esquecer. A agente admite ainda que sentiu-se culpabilizada, mas tomou sempre essa culpa como uma paga por não ter dado a devida atenção à filha. Mas Peter consola-a, dizendo que ela sempre amou Etta, e o que é passado já lá vai: é necessário aproveitar esta segunda oportunidade da família.
Entretanto Walter está a fazer progressos na construção de um uniforme para descer até à mina. Mas há um problema: falta o cobre. Edwin fala-lhes de um acampamento, onde possuem cobre. Mas este acampamento é desconhecido, só foi contactado por rádio e não se sabe se são de confiança. Peter insiste em negociar com eles, mas quando Etta revela que os Observadores estão a persegui-los, Edwin insiste em que todos eles saiam daquela área, pois caso os carecas encontrem tudo aquilo, irão destruir todo o local, incluindo as informações preservadas ao longo de anos. Contudo, após uma conversa a sós com Peter, Edwin entende que a coisa certa a fazer é ajudá-los. Assim sendo, contacta o acampamento, pedindo por cobre.
O episódio teve o seu momento de moral (como quase todos têm) na conversa entre Edwin e o seu filho, River. O pai explica ao filho que as palavras covarde e herói têm significados muito mais complicados do que aparentam ter. Dúvidas são levantadas no ar: será um covarde aquele que não faz determinado ato, que estaria certo, para proteger os que ama? Bem, Edwin explica que não se é covarde por ter medo. Medo de perder o filho. Mas é-se covarde quando se sabe a coisa certa a fazer, e não se faz. Como tal, Edwin conta ao filho que tomou a decisão de ajudar Peter e os amigos. Filosofando acerca do assunto, a verdade é que, tal como o próprio pai diz, se ele quer proteger o filho, isso significa também lutar por um mundo onde ele possa viver. E isso só será possível ajudando a Fringe Division. Desta forma, ele pode abdicar da segurança de toda a população da tribo, do próprio filho, do seu trabalho, ao ajudar a Fringe Division, mas se não ajudar, não será ajudado. O próprio Edwin disse que é tempo de fazer história, invés de a guardar. E fazer história pode ter preços. Mas a verdade é que ele sabe o que tem de ser feito. E ele não vai ser nenhum covarde.
Mais uma vez no laboratório, Astrid recupera mais informação da gravação. É necessário extrair cerca de 18kg de uma forma cristalizada do quartzo, que será essencial no plano. Mas, como já disse, falta o cobre para o uniforme de Walter. Edwin envia Olivia e Peter em busca do acampamento e avisa à última da hora que não irá com eles. Mas a informação que o homem forneceu a Olivia e Peter está errada. Não há lá nenhum acampamento. Na verdade, Edwin nunca conseguiu negociar com os membros do acampamento em relação ao cobre. Na ausência de Olivia e Peter, Edwin dirige-se à mina e, após ouvir um estrondo, Walter e Etta encontram um dos membros da tribo perto da mina. Ele viu o que aconteceu. Edwin sacrificou-se e desceu à mina, fazendo elevar o pretendido quartzo.
Após descobrir sobre a morte do pai, River vai até à zona dos cubos de vidro com informação armazenada e abre o da sua família. Entre fotos dos seus pais, relata que um herói morrera naquele dia para ajudar a Fringe Division. O seu pai.
Sem dúvida a qualidade voltou a ver-se neste episódio. Foi uma ótima atuação de Paul McGillion como Edwin Massey, cheia de emoção em situações mais difíceis. Mas eu mantenho uma fasquia alta e espero que ainda seja ultrapassada. Até ao 5×04!

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial