Pretty Little Liars – 3×03: Kingdom of the Blind - Líder Séries

ULTIMAS

26 de junho de 2012

Pretty Little Liars – 3×03: Kingdom of the Blind


Em Pretty Little Liars não é você quem cola para enganar o professor. O professor é quem cola para enganar você.
Spoilers Abaixo:


Com apenas três episódios de PLL exibidos, uma coisa é certa: essa é a temporada das subversões. Primeiro foi a pá que acabou enterrada em vez de enterrar e agora é o professor que cola, em vez de reprovar. A coisa vai bem. O chocante é notar que diante de atitudes tão duvidosas, temos quatro adolescentes que estão raciocinando mais do que os adultos, pelo menos em alguns casos.
Semana passada foi Aria quem mostrou maturidade, mas dessa vez, Emily provou que está saindo do surto por causa de Maya. Ela foi bem esperta ao perceber que essa questão da nota seria uma grande arma nas mãos de –A, prejudicando não somente ela, mas também Ella. A intenção é boa e nem condeno essa “ajudinha” que Emily recebeu, o problema é que –A tudo sabe e tudo vê e obviamente essa fraude viria à tona.
De certa forma, até que veio. Denúncia –A(nônima) para o vice-diretor, com Ella pronta para se entregar. MUITO BURRA. A não ser que alguém tivesse fotos em detalhe ou filmagens dela respondendo a prova de Emily não teriam como provar. Aliás, só se Emily dissesse a verdade. Como é que iriam analisar se os X nas alternativas eram fraudulentos? Já dá para notar que tanta genialidade passa mesmo dos pais para os filhos em Rosewood.
Na última hora veio Pedobezra, querendo ser o amigão da garotada para salvar o dia, com uma mentira ainda mais deslavada e absurda, mas ok… Se o vice-diretor acreditou eu também acredito. Ezra está desesperado para ser incluído nos jantares da família Montgomery, porque viver de aula particular não compra nem o miojo e o pó de café. Como eu ainda acho que esse lance da nota vai dar merda, a ideia é a seguinte: Ezra e Ella podem abrir uma escola com todos os professores demitidos e desempregados da cidade. #FICAADICA
A revelação que mais chocou a sociedade, porém, foi o fato de que o bebê demônio de Melissa morreu. Ou não. No mínimo ela passou o tempo todo mentindo que estava grávida, por algum motivo torpe e idiota e no fim, inventou aborto para se livrar dessa invenção. Spencer, sempre muito esperta, ainda credita na irmã e que a gravidez foi verdadeira.
Até Hanna, do alto de sua sabedoria, conseguiu pegar mais detalhes escabrosos do que ela. Se Melissa realmente estivesse grávida, Garret poderia muito bem ser o pai. Isso coloca Melissa como a rodada de Rosewood, tendo passado na mão de Ian, Garret e até Jason, seu amado irmãozinho.
A coisa só melhora, inclusive, porque Spencer não entende porque sua mãe resolveu defender Garret, assim, do nada. Aliás, a revolta de Spencer com “ele matou minha amiga e matou MAYA que também era minha amiga” é sem sentido. A própria Spencer sabe que a polícia da cidade é maravilhosa, já tendo acusado Tobinha e até ela mesma como assassinos.
Para deixar tudo com muito mais sentido, vimos o ardiloso plano de controlar Jenna em sua falsa cegueira, derrubando mesas na frente dele para ver a reação, acabar antes mesmo de começar. Desde que soubemos que “bitch can see”, Hanna ficou alucinada e depois de menos de 24 horas, foi lá tirar satisfação com Jenna, afinal, onde já viu, mentir que não vê quando está vendo tudo?
O mistério sobre o sumiço de Emily também entrou na roda. Andando na estrada, bêbada, chamando por Maya? Então é assim que ela foi parar no porta-malas de Jenna e depois num cemitério? Cadê o sentido, minha gente? Ainda mais com Jenna se fazendo de vítima de incêndio e chamando Aria para vê-la com um “instrumento de sopro” na boca? Tudo muito estranho.
Falando em estranho, temos Lucas Dark, queimando boletim no que Caleb chama de “quase botar fogo na minha namorada”. Como assim, gente? Hanna teria de mergulhar na lixeira pra se queimar. Lucas deu uma dica importante sobre Mona: ela está mentindo. Só mesmo as Liars para não saber, depois de tudo o que está rolando, que a rede de mentiras não acabou. Mona, porém, é ótima atriz e deu um ataque de pelanca belíssimo na frente de Caleb, para depois cantar lindas canções em sua cela no hospício.
O bacana é que ela deu uma pista para Hanna: “Não dá para confiar em ninguém. NEM EM FAMILIARES”. Hanna, alô! Mona está dizendo “ei, lôra burra, sua mãe é o Black Swan”. O recado também vale para Spencer, se pensarmos bem.
Depois de tudo isso, porém, fiquei com uma ideia fixa na cabeça. Caleb está cada vez mais folgado. Ele representa perigo para os planos do –A Team e por isso, sinto que ele vai rodar, mais do que o Pião da Casa Própria.

Nenhum comentário:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial